Como a alfaiataria contribuiu para que criássemos grandes empreendimentos de alto padrãoTempo de leitura: 3 min

A alfaiataria é uma arte que surgiu durante a Idade Média, embora seja difícil precisar o século em questão. O termo “alfaiate” data do século XIII, do francês “tailler” (cujo significado é “cortar”), mas o sentido moderno da palavra só surgiu em meados do século XVIII.

Nascida na Europa, a alfaiataria começou como profissão daqueles que desenvolviam roupas de linho sob medida para serem usadas embaixo das armaduras, protegendo o usuário e trazendo-lhe conforto. Desse ofício nasceram as primeiras guildas de alfaiates europeias, e a alfaiataria se expandiu pela Europa e pelos demais continentes, modificando-se e evoluindo através dos séculos.

No último século, a alfaiataria passou por grandes inovações graças à criação de tecnologias como máquinas de costura e teares, o que possibilitou não só o desenvolvimento de tecidos de qualidade superior e que fossem mais confortáveis, mas também tornou possível a produção de modelagens que se adaptam ao estilo de vida moderno daqueles que buscam garbo e elegância.

Você pode estar se perguntando: “o que tudo isso tem a ver com uma incorporadora de alto padrão?”, mas garanto a você que a história da alfaiataria está intrinsecamente conectada à história da Wolens. Nossa trajetória começou em 1937, quando o imigrante polonês Abram Goldsztein desembarcou no Brasil, fugido da guerra e em busca de novos sonhos nesta terra tropical. Alfaiate de profissão, o jovem Abram tentou a sorte como mascate, até que pôde se dedicar ao seu ofício de paixão. Com a alfaiataria, Abram Goldsztein ganhou renome no bairro Bom Fim, tradicional recanto judeu de Porto Alegre, abrindo sua primeira loja, a Wolens, que, mais tarde, viraria uma marca e franquia.

Leia também: Conheça a história da Wolens Incorporadora

O sucesso da marca Wolens se deu pelo cuidado em oferecer nada menos do que a perfeição aos seus clientes. Esse traço marcante da alfaiataria é presente no DNA da família Goldsztein. Quando o ramo da família mudou da alfaiataria para a incorporação, com a fundação da Goldsztein Patrimonial, essa postura não mudou.

Se na alfaiataria cada peça é confeccionada exclusivamente para atender às particularidades e medidas de cada cliente, na incorporação nós trabalhamos sempre buscando atender, no mínimo detalhe, às exigências dos clientes, com empreendimentos que realizem sonhos como se fossem construídos sob medida.

Desde o nascimento da Wolens, agora como incorporadora, carregamos nossas expertises, no mercado imobiliário e da alfaiataria, como guia para sermos uma incorporadora apaixonada pelo que faz. Não é à toa que utilizamos o termo “tailor-made” quando falamos sobre os projetos Wolens. Nossos imóveis são, sem exceção, de altíssimo padrão, e neles tudo o que se pode ver e tocar está ali por algum motivo. Escolhemos sempre os melhores materiais, os melhores acabamentos, as melhores localizações e trabalhamos em parceria com grandes arquitetos para projetar imóveis sem comparação.

Se a alfaiataria revolucionou a moda, nós queremos utilizar a construção civil para revolucionar as cidades o mundo. Cada empreendimento que realizamos é feito com um propósito — nenhuma escolha é por acaso! E, assim como Abram desejava, nós queremos transformar Porto Alegre e tornar a cidade referência em imóveis que causem um impacto positivo na vida de seus moradores, vizinhos e comunidade.

Faça parte dessa realidade com a Wolens. Faça parte de uma Porto Alegre melhor!

2 comentários sobre “Como a alfaiataria contribuiu para que criássemos grandes empreendimentos de alto padrãoTempo de leitura: 3 min

  1. Acredito q mais uma vez a Wolens vai superar as expectativas! Minha mãe trabalhou na fábrica numa parte da fábrica q era na rua João Guimarães em Porto Alegre. E eu trabalhei na outra parte da empresa na av Protasio Alves, como secretária do Sr Mattos Gomes no dpto de vendas da Wolens. Tempo maravilhoso! Desejo mt sucesso nos novos empreendimentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *